quinta-feira, 15 de novembro de 2012

Greves em Suape, Por Célio Cruz.

Publico aqui em meu blog a boa análise (publicada originalmente em seu Facebook) do que acontece em Suape nestes dias e sobre a cobertura da mídia. O texto é de um amigo e correligionário na luta política, Célio Cruz.
 
 
"É de causar repúdio a abordagem do Jornal do Commércio sobre a grave crise instalada em SUAPE, que hoje é um verdadeiro barril de pólvora. Logo na capa, a foto de um manifestante emcapuzado, com um pedaço de madeira na mão. Li toda a matéria, E EM NENHUM MOMENTO, o jornalista Felipe Lima aborda o fato que motivou o protesto dos trabalhadores, ontem: O DESCUMPRIMENTO, por parte dos patrões, da Convenção Coletiva de Trabalho, assinada no mês de agosto deste ano, que garante a equiparação salarial com as remunerações mais altas, dentro da mesma função. Um carpinteiro que trabalha há dois anos exercendo a função no Complexo Industrial Portuário de Suape ganha R$ 950, enquanto que um colega de profissão, que também trabalha na Refinaria Abreu e Lima, recebe R$ 1.400. A diferença de salários entre trabalhadores na mesma função chega a 40%, dependendo da empresa. Tem encanador industrial que ganha R$ 1.950 na Petroquímica e outros, na mesma função, recebendo R$ 2.360 na Refinaria. O jornal do Commércio ainda tenta fazer chacota relatando que os trabalhadores fizeram uma micareta, seguindo um trio elétrico, quando este veículo foi usado para a realização da assembleia da categoria. Sobre o cumprimento das decisões judiciais, é muitíssimo preocupante o teor de muitas delas, ultimamente, em Pernambuco. Lembram da destruição da Vila Oliveira, no Pina, onde os moradores tinham documento de posse sobre a área ? Em suma, existe um GRAVE problema em SUAPE. E ele não será resolvido de maneira unilateral. Trabalhadores; patrões e governo precisam negociar num ambiente de respeito mútuo. Quanto ao princípio da imparcialidade jornalística, ah!, isso parece ser um mero detalhe para o Jornal do Commércio. Lembremo-nos de Dom Hélder, que dizia: "quem quiser que pense que o povo não pensa. O Povo pensa ..."

Um comentário: