quarta-feira, 24 de agosto de 2011

Dez perguntas para o secretário da Copa Amir Schwartz

Por Edilson Silva
Nos últimos dias tem chegado com mais força à opinião pública os desmandos que cercam a dinâmica da especulação imobiliária a partir das obras da Copa do Mundo de 2014. Dois pronunciamentos públicos simbolizam bem as preocupações sobre estes desmandos. Um deles é do dirigente do MTST (Movimento Nacional dos Sem Teto), Guilherme Boulos (http://edilsonpsol.blogspot.com/2011/08/copa-do-mundo-ja-tem-seus-derrotados.html). O outro é do deputado federal Romário, do PSB-RJ (http://edilsonpsol.blogspot.com/2011/08/discurso-de-romario-sobre-as.html).

Diante destas inquietações, e diante das preocupações levantadas por este articulista em texto recente (O bar Garagem, Amir Schwartz e um caso mal contado - http://edilsonpsol.blogspot.com/2011/08/o-bar-garagem-amir-schvartz-e-um-caso.html), somos provocados a tornar públicas algumas perguntas que, em respeito à República em que vivemos (ou deveríamos viver) e aos direitos fundamentais de nossa gente, merecem resposta do poder público e do secretário que está ocupando a secretaria da Copa, o senhor Amir Schwartz.

1 – O que o secretário Amir Schwartz estava fazendo dentro de um terreno privado, devidamente escriturado, área do antigo bar Garagem, que havia sido tomado irregularmente pela prefeitura – sem ordem judicial -, num sábado? Que interesses levaram-no a ir fiscalizar pessoalmente a limpeza de um terreno às margens do Capibaribe?

2 – Se o projeto da Avenida Beira-Rio, que passa entre as pontes da Torre e da Capunga, ainda não está pronto, por que a prefeitura está removendo edificações na área, baseada neste “projeto”?

3 – Porque o secretário, tão zeloso e antecipado com o projeto da Avenida Beira-Rio, não realizou também a desocupação de áreas realmente púbicas e não edificantes que se encontram no meio do trajeto entre as cabeceiras das pontes da Torre e da Capunga?

4 – Porque o secretário, tão preocupado com o planejamento da cidade, além de não ser isonômico nas desocupações, ainda permite que nos traçados da suposta Avenida Beira-Rio mais e mais arranha céus passem a ser construídos?

5 – Todos os arranha-céus cujas áreas construídas invadem a mata ciliar do Rio Capibaribe tem licença ambiental? Se sim, quem liberou? Onde estão os relatórios com estas liberações? São públicos?

6 – O secretário Amir Schwartz tem alguma ligação, direta ou indireta, com a Faculdade Maurício de Nassau, cujas instalações de um dos seus centros de ensino estão às margens do Capibaribe e que inclusive ocupam com um estacionamento a área onde supostamente passará a Avenida Beira-Rio?

7 – O secretário tem alguma ligação, direta ou indireta, com construtoras ou incorporadoras com interesse na especulação imobiliária nos bairros centrais do Recife?

8 – O secretário conhece a Lei dos 12 bairros? Se conhece, acredita que a construção desordenada de edifícios nesta área se coaduna com esta legislação?

9 – Antes de dedicar seu profissionalismo ao setor público, o senhor secretário atuava em alguma empresa cujos interesses particulares podem conflitar-se com o interesse público? Sendo mais direto: o senhor foi funcionário da Odebrecht?

10 – Não vai aqui, obviamente, nenhuma crítica de ordem pessoal ao cidadão Amir Schwartz, mas tão somente ao homem público, a alguém que, empossado juridicamente, manuseia o bem público: Secretário Amir Schwartz, o senhor acredita que está em condições de realizar um trabalho isento, voltado ao interesse público da cidade e das novas gerações, à frente de uma pasta que tem tanta importância estratégica para o desenvolvimento de nossa cidade?

Se algum cidadão ou cidadã puder ajudar nas respostas, nos comentários, a cidade agradece!

Presidente do PSOL-PE
Twitter.com/Edilson/PSOL
Edilsonpsol.blogspot.com
facebook.com/EdilsonPSOL

Nenhum comentário:

Postar um comentário